Seat sugere dez percursos de condução e um é português

0 Aos 100, 02.07.2020

"Dos Picos da Europa em Espanha ao Caminho dos Trolls na Noruega, dez percursos de condução pelos locais mais marcantes da Europa.

Na sequência da crise de saúde da COVID-19, este verão é diferente: com a mobilidade reduzida e as viagens aéreas vistas como um grande risco de maior contágio, espera-se que prevaleçam as viagens de carro e o turismo local para zonas menos concorridas. Foi por isso que a Seat selecionou 10 rotas de automóveis em algumas zonas mais especiais da Europa.

Sozinhos, em casal, com a família ou com amigos, estes percursos garantem uma experiência inesquecível sobre rodas seguindo as regras do distanciamento social.

1. Espanha: paisagem calcária. O Parque Nacional dos Picos da Europa, entre as comunidades autónomas das Astúrias, Cantábria e Castela e Leão, em Espanha, é um ponto de interesse natural em todo o mundo. Picos altos e pontiagudos, lagos cristalinos e tons distintos de verde são as marcas deste paraíso na Terra. Propomos iniciar a rota em Riaño e percorrer a estrada até aos Lagos de Covadonga, passando por Soto de Sajambre e Cangas de Onís, e depois viajar até Potes e assim visitar as três comunidades. Entre as suas atrações mais marcantes, os Fiordes do Leão, o Desfiladeiro de Beyos e inúmeros miradouros.

2. Alemanha: uma estrada de sonho. O Romantische Strasse ("Estrada Romântica") na Alemanha é um dos lugares mais especiais da Europa para visitar e conduzir. A rica paisagem e os monumentos e castelos medievais das suas aldeias são característicos desta rota de 460 km desde Fussen, na fronteira sul da Alemanha com a Áustria, até Wurzburg, entre Frankfurt e Nuremberga. Todo o caminho é marcado com sinais castanhos, por isso é difícil perder-se para chegar a uma das 29 cidades ou aldeias que compõem o Romantische Strasse.

3. Portugal: de norte a sul por estrada. Em Portugal existe uma das maiores estradas do mundo, a Estrada Nacional 2: 738 quilómetros que atravessam o país de norte a sul passando por 11 distritos, 8 províncias, 4 serras, 11 rios e 32 municípios, começando em Chaves e terminando em Faro. Pelo caminho, banhos termais, santuários, castelos e miradouros animam uma rota cinzenta de asfalto que muitos rebatizam como "Route 66 Portuguesa". O prazer de conduzir, o conforto e a segurança numa estrada como esta não têm de estar em desacordo.

4. Reino Unido: de cavalos para a prancha de surf. No Reino Unido, uma ótima opção para uma viagem de carro começa em Horsham, uma cidade de mercado no sul de Inglaterra famosa por ser um posto de comércio de cavalos na Idade Média. Uma vez visto o seu castelo, a estrada continua através do deslumbrante Parque Nacional South Downs até Winchester, onde se pode visitar a grande Catedral e o Grande Salão, nas paredes das quais está pendurada uma réplica da mesa redonda do Rei Artur. A partir daí, a famosa estrada A303 passa pelo imponente monumento megalítico de Stonehenge e continua através de Devon até à cidade córnea de Newquay. Localizado no extremo oeste da Inglaterra, o mar funde-se com a terra e o surf é o desporto mais popular.

5. Itália: o mar é o seu companheiro. Uma das estradas mais cénicas e desconhecidas do país atravessa Puglia, no calcanhar de Itália. A SP 81, uma rota costeira de 47 quilómetros que vai de Otranto a Santa Maria di Leuca, na costa do Adriático. Em Otranto pode-se ver o Castello Aragonnese, a Catedral e a Basílica de San Pietro e depois continuar ao longo da costa, passando pelo farol de Punta Palascia (o ponto mais oriental da Itália), Porto Badisco e suas águas turquesas, as oliveiras centenárias de Santa Cesarea Terme e pela gruta Zinzulusa de Castro. Quando chegar a Santa Maria de Leuca, no sul do calcanhar de Itália, encontrará um farol e a Basílica da Madonna di Finibus Terrae ("o fim da terra"), onde o mar e o céu se encontram.

6. Suíça: espírito rural e acolhedor. O carro é um dos meios de transporte mais confortáveis para contornar terras suíças, pois permite-lhe parar para admirar as suas paisagens bucólicas em todos os momentos. Partindo da capital, Berna, depois de visitar o seu centro histórico rodeado pelas águas do Rio Aar, pode chegar ao Vale verde de Grindelwald, uma paisagem alpina com inúmeros trilhos e miradouros. A partir daqui, passando por Interlaken, um distrito que deve o seu nome aos dois lagos que o rodeiam, chegamos a Lucerna, onde encontrará o Spreuerbrucke, uma ponte de madeira centenária, o Monumento ao Leão, esculpido em mármore, e o divertido Museu dos Transportes. Finalmente, a rota termina na pequena cidade de Stein am Rhein e a sua aparência medieval, depois das Cataratas do Reno.

7. França: maravilhas da água e da areia. Na Occitânia Francesa, o percurso passa entre a região de Lozére e l'Aveyron. Deixando a cidade de Ispagnac e a sua ponte do século XIV, chegamos à vila medieval de Gorges-du-Tarn-Causses, uma mistura de natureza e história, depois passamos para La Maléne e a espetacular estrada ziguezagueante e íngreme da qual se pode observar o vale do Rio Tarn. Massegros-Causses-Gorges e Le Rozier são locais perfeitos para mergulhar nos seus desfiladeiros. Finalmente, no viaduto de Millau pode desfrutar de um pôr-do-sol inigualável.

8. Croácia: Património Mundial. Começando em Varazdin, também conhecida como a "pequena Viena" pelos seus edifícios barrocos e rococó, seguimos de carro para a capital, Zagreb, uma combinação de tradição e modernidade. Continuando para sul ergue-se o Parque Nacional de Plitvice, Património Mundial da UNESCO, com os seus 16 lagos unidos por cascatas. Finalmente, o percurso termina em Sibenik, a cidade das fortalezas, com ruas labirínticas e duas principais atrações: a Catedral de Santiago e o Forte de San Nicolás, ambos também declarados Patrimónios Mundiais.

9. Roménia: curvas, verde e adrenalina. A estrada para Transfagara?an (DN7C), na Roménia, além de ter um nome impossível de pronunciar, tem 90 quilómetros de curvas e em alguns troços ultrapassa os 2.000 metros de altitude. O verão é a melhor altura para fazer esta viagem, já que até meados de junho pode haver neve na estrada. Partindo da cidade de Sibiu, uma referência cultural com 12 museus, a estrada passa pela cascata e o Lago Balea sob a forma de ziguezague e asfalto irregular. A poucos quilómetros mais a sul está o Lago Vidraru e o Castelo de Poineari, que pertenciam ao verdadeiro Vlad Tepes (em quem se baseia o caráter Drácula de Bram Stoker) e no final do percurso chegamos a Curtea de Arges, uma das cidades mais antigas do país, com um mosteiro de forma peculiar e ambiente paisagístico.

10. Noruega: o caminho dos Trolls. A Rota de Trollstigen (que significa "o caminho dos Trolls"), é uma estrada de 106 quilómetros que atravessa o oeste da Noruega através de declives e encostas íngremes, cascatas e vales verdes. Devido às complicadas condições meteorológicas da região, só se pode circular nos meses de verão. Com 18 curvas de 180º, entra-se nos fiordes noruegueses e encontra-se um miradouro no seu ponto mais alto. "

VER NOTÍCIA